Sobre ter chegado aos vinte e cinco

bexigas-no-ceu

Para quem não sabe, completei 25 primaveras no dia 01 desse mês lindo e florido que é outubro ! ~ balões subindo! ~ hahaha
Nos últimos 3 ou 4 anos vinha sofrendo com uma mega depressão pré aniversário. Todo ano era a mesma coisa, uma semana antes eu ficava muito bad, as minhocas da minha cabeça faziam uma mega festa. Eram sempre milhões de questionamento sobre para onde eu estava levando minha vida, que eu já estava velha demais para não ter isso ou aquilo ainda, que estava velha demais para fazer isso ou aquilo, enfim, eu dava uma pirada geral! Meu humor ficava péssimo até o dia do aniversário chegar e eu pudesse comemora-lo (Sou Aloka dos aniversários. Sempre preciso comemorar de alguma forma. Comigo não tem dessa “de não quero fazer nada”).

Esse ano eu já estava preparada esperando a bad chegar, mas ela não apareceu! Confesso que até o último dia ainda trabalhei o psicológico para o caso de uma maré de tristeza invadir o meu dia. Mas nada de bad! Tnks God! Cheguei aos 25 muito animada e feliz! Talvez muito mais louca, mais cansada, mais sem paciência, mas mais feliz!
Claro que os milhões de questionamentos ainda atormentam minha cabeça e acho até que hoje eles já sejam bilhões. O que tenho feito de realmente produtivo na minha vida? Será que não estou velha demais para querer começar algo do zero? Preciso casar agora? Porque não tenho nenhum bem material expressivo? E se eu quiser desistir? Meu trabalho é valorizado? É isso mesmo que eu quero pra minha vida?
Minha cabeça gira e eu ainda não consegui parar e colocar os pensamentos no lugar. Sei que tenho muita coisa para mudar nesses vinte e cinco e que precisa ser agora pois aos vinte e seis realmente pode ser tarde. Talvez esses vinte e cinco tenham chegado assim sereno – igual na música do los Hermanos – para que eu entenda que não tenho mais idade para ficar parada chorando, que o tempo realmente está passando rápido, que eu preciso começar firme e mudar tudo que puder, agora. Recomeçar, recontar, reciclar, sair, abandonar aquilo que não dá mais e buscar algo melhor. Mudar o cabelo de novo, aumentar as tatuagens, comprar um skate e andar. Tirar as roupas velhas do guarda roupa e doá-las. Colocar combustível nos projetos que já estão caminhando e tirar os outros do papel. Fazer, acontecer. Acreditar mais em mim! Me entregar mais, viver mais, estar mais ainda na presença de Deus.

Acredito muito em propósitos e sei que nada na vida da gente acontece em vão. Talvez o 25 tenha chegado assim, tranquilo e leve porque vem um tsunami por aí. Mas quer saber? Eu não estou com medo do que está por vir.

Anúncios